Pular para o conteúdo principal

O vestido azul

Num bairro pobre de uma cidade distante, morava uma garotinha muito bonita. Ela freqüentava a escola local. Sua mãe não tinha muito cuidado e a criança quase sempre se apresentava suja. Suas roupas eram muito velhas e maltratadas. 

O professor ficou penalizado com a situação da menina. "como é que uma menina tão bonita, pode vir para a escola tão mal arrumada?" 

Separou algum dinheiro do seu salário e, embora com dificuldade, resolveu lhe comprar um vestido novo. Ela ficou linda no vestido azul. 

Quando a mãe viu a filha naquele lindo vestido azul, sentiu que era lamentável que sua filha, vestindo aquele traje novo, fosse tão suja para a escola. Por isso, passou a lhe dar banho todos os dias, pentear seus cabelos, cortar suas unhas. 

Quando acabou a semana, o pai falou: "mulher, você não acha uma vergonha que nossa filha, sendo tão bonita e bem arrumada, more em um lugar como este, caindo aos pedaços? 

Que tal você ajeitar a casa? Nas horas vagas, eu vou dar uma pintura nas paredes, consertar a cerca e plantar um jardim." 

Logo mais, a casa se destacava na pequena vila pela beleza das flores que enchiam o jardim, e o cuidado em todos os detalhes. 

Os vizinhos ficaram envergonhados por morar em barracos feios e resolveram também arrumar as suas casas, plantar flores, usar pintura e criatividade. 

Em pouco tempo, o bairro todo estava transformado. Um religioso, que acompanhava os esforços e as lutas daquela gente, pensou que eles bem mereciam um auxílio das autoridades. 

Foi ao prefeito expor suas idéias e saiu de lá com autorização para formar uma comissão para estudar os melhoramentos que seriam necessários ao bairro. 

A rua de barro e lama foi substituída por asfalto e calçadas de pedra. Os esgotos a céu aberto foram canalizados e o bairro ganhou ares de cidadania. 

E tudo começou com um vestido azul. Não era intenção daquele professor consertar toda a rua, nem criar um organismo que socorresse o bairro. 

Ele fez o que podia, deu a sua parte. Fez o primeiro movimento que acabou fazendo que outras pessoas se motivassem a lutar por melhorias. 

Será que cada um de nós está fazendo a sua parte no lugar em que vive? 

Por acaso somos daqueles que somente apontamos os buracos da rua, as crianças à solta sem escola e a violência do trânsito? 

Se somos, sigamos o exemplo do professor e lembremos que é difícil mudar o estado total das coisas. Que é difícil limpar toda a rua, mas é fácil varrer a nossa calçada. 

É difícil reconstruir um bairro mas é possível dar um vestido azul. 

*** 

Podemos fazer mais em favor da humanidade se nos dispusermos a isto. 

Estendamos a mão para alguém caído. Digamos uma palavra gentil para alguém. 

Presenteemos um amigo com uma flor. Façamos sorrir alguém triste. Abracemos com ternura um desafortunado. 

Há moedas de amor que valem mais do que os tesouros bancários, quando endereçadas no momento próprio e com bondade. 

Ninguém dispensa um amigo, nem um gesto de socorro. 

Disputemos a honra de ser construtores do mundo melhor e de uma sociedade mais feliz.
fonte: Livro Vida Feliz nº LXXX

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A LENDA DO PARDAL (FRONTEIRA)

DIZEM QUE O PARDAL NÃO É DAQUI,QUE FOI ASSIS BRASIL QUEM TEVE A PÉSSIMA IDÉIA DE TRAZER ESTE BICHO EXCOMUNGADO DAS EUROPAS.NÃO PRESTA PARA NADA,INCOMODA UMA BARBARIDADE E AINDA CORRE COM O TICO-TICO E O CANARINHO-DA-TERRA DE TUDO QUANTO É CANTO.
É UM BICHO ANTIPÁTICO,QUE NÃO CAMINHA:PARA ANDAR,TEM QUE DAR UNS PULINHOS,COM OS DOIS PÉS JUNTOS,COMO SE ESTIVESSE MANEADO.
E ESTÁ MESMO.FOI CASTIGO DE DEUS.
QUANDO NOSSO SENHOR ESTAVA FAZENDO OS BICHOS PARA SOLTAR NA TERRA,PERGUNTAVA O QUE CADA UM IA FAZER.E DISSE A POMBA:
- EU VOU SER MANSA E TRANQUILA,O SÍMBOLO DA PAZ.
- EU VOU CANTAR PARA A ALEGRIA DOS GAÚCHOS. - DISSE A CALHANDRA.E ASSIM POR DIANTE.
QUANDO CHEGOU A VEZ DO PARDAL,QUE ERA RABUGENTO E ESTAVA BRABO POR SER DOS ÚLTIMOS NA FILA,ELE SE SAIU COM QUATRO PEDRAS NA MÃO:
- EU?POIS EU VOU DAR COICE NO MUNDO E ACABAR COM TODA ESTA PORCARIA,QUE ESTÁ TUDO MUITO MAL FEITO!
- AH,VAI? - DISSE NOSSO SENHOR.POIS ENTÃO EU VOU TE MANEAR,PRA QUE TU NÃO DÊS UM COICE NO MUNDO QUE EU FIZ...
É POR ISSO QUE O…

O REI E O SAPATEIRO

Era uma vez... quando foi
Eu bem ao certo não sei!
Porém sei que era uma vez
Um sapateiro e um rei.

Olha, Helena, o sapateiro
Era um pobre remendão,
Casado e com quatro filhos,
Que vivia quasi sem pão.

No recanto de uma escada
Noite e dia trabalhava,
E por allivio de máguas,
Esta cantiga cantava:

"Ribeiros correm aos rios,
Os rios correm ao mar;
São tudo leis deste mundo
Que ninguém póde atalhar:
Quem nasce para ser pobre
Não lhe vale o trabalhar!"

O rei tinha montes d'ouro
E joias em profusão,
E tinha mais que ouro e joias,
Pois tinha um bom coração.

Em vendo um pobre, acudia-lhe
Sem que o soubesse ninguem,
Que assim quer Deus que se faça.
E assim o faz tua mãe.

Por muitas vezes saía
Sem criados de libré,
E sósinho e disfarçado
Corria a cidade a pé.

Na rua do sapateiro
Passa o rei e ouve cantar:
"Quem nasce para ser pobre
Não lhe vale o trabalhar."

Isto uma vez e mais de uma
com voz que o pranto cortava,
E o rei condoeu-se d'alma
Do velho que assim cantava.

Chegado ao palacio ordena
Que lhe arr…

A LENDA DE JAGUARÃO

NOS TEMPOS ANTIGOS,ANTES DA CHEGADA DO HOMEM BRANCO ÀS TERRAS DO SUL,VIVIAM OS CHARRUAS E ÀS VEZES OS MINUANOS JUNTO A UM RIO PAMPA.OS ÍNDIOS PESCAVAM NO RIO,CORTAVAM AS SUAS ÁGUAS COM CANOAS E TIRAVAM DE SEUS REMANSOS A ÁGUA PARA O DIA-DIA DA TRIBO.
UM DIA,PORÉM,AQUERENCIOU-SE NUMA DAS "PANELAS" DO RIO,JUNTO ÀS BARRANCAS,UM ESTRANHO SER,UM MONSTRO QUE PARECIA UM PEIXE-CACHORRO,COM GARRAS DE TIGRE,PRETO E VISGUENTO.E COISA ESTRANHA:SÓ COMIA OS BOFES DOS VIVENTES FOSSE BICHO OU GENTE MESMO.
E COMO FAZIA? SIMPLESMENTE ELE CAVOUCAVA POR BAIXO DÁGUA A BARRANCA DO RIO,FAZENDO UMA GRANDE CAVERNA E ALI SE ANINHAVA, A ESPERA.SE UMA PESSOA OU BICHO GRANDE CHEGASSE EM CIMA DA BARRANCA,ESTA DESABAVA E O MONSTRO ARRASTAVA PARA O FUNDO DAS ÁGUAS QUEM SE AFOGAVA,COMENDO-LHE OS BOFES,SIMPLESMENTE.
ACONTECE QUE OS CADÁVERES COMEÇARAM A APARECER RIO ABAIXO,SEM OS PULMÕES E OS ÍNDIOS COMEÇARAM A DAR CAÇA AO MONSTRO,SEM GRANDES RESULTADOS,ALIÁS.EM GUARANI,QUE ERA A LÍNGUA MAIS FALADA …