Seguidores

sábado, 27 de agosto de 2011


O pensamento é uma passagem
Para o lugar em que não está
É irreal cria a imagem
De um mundo que existirá?

Uma porta sem destino certo
Uma chance em vão
Uma caminho sempre aberto
Seguindo nossa visão.

Mauricio Tramonti

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Meu País - Zezé Di Camargo e Luciano


Aqui não falta sol
Aqui não falta chuva
A terra faz brotar qualquer semente
Se a mão de Deus
Protege e molha nosso chão
Por que será que tá faltando pão?
Se a natureza nunca reclamou da gente
Do corte do machado,
a foice, o fogo ardente

Se nessa terra tudo que se planta dá
Que é que há, meu pais?
O que é que há? (2 vezes)

Tem alguém levando o lucro
Tem alguém colhendo o fruto
Sem saber o que é plantar
Tá faltando consciência
Tá sobrando paciência
Tá faltando alguém gritar
Feito um trem desgovernado
Quem trabalha tá ferrado
Nas mão de quem só engana
Feito mal que não tem cura
Estão levando a loucura
O país que a gente ama
Se a natureza nunca reclamou da gente
Do corte do machado,
a foice, o fogo ardente

Se nessa terra tudo que se planta dá
Que é que há, meu pais?
O que é que há? (2 vezes)

Tem alguém levando o lucro
Tem alguém colhendo o fruto
Sem saber o que é plantar
Tá faltando consciência
Tá sobrando paciência
Tá faltando alguém gritar
Feito um trem desgovernado
Quem trabalha tá ferrado
Nas mão de quem só engana
Feito mal que não tem cura
Estão levando a loucura
O país que a gente ama
Feito o mal que não tem cura
Estão levando à loucura
O Brasil que a gente ama


sábado, 20 de agosto de 2011

MENINO DO DEDO DE LUZ

Menino do dedo de luz
Criando noites estreladas
Noivas flores
Nerudiando a terra
Sementes poéticas de amor
Dentro de sua casa, seu jardim
Brotam frascos
Da essência indolor
Perfume das manhãs
Amanhãs, quem sabe?
Menino do dedo de Luz
Ilumina meu abajur
As palavras abstratas
Com pétalas-estreladas
Orquídeas bennyanas
Derramando o néctar
Doce mel no livro cruel
Das leituras da vida
Menino do dedo de Luz
No exílio de minha casa
Flores cadentes na janela
Canto dos passarinhos
Um dedo molhado na terra
Regresso do filho meu
Onírico em folhas
Estrela maior
Asas verdes
Que tão cedo voou
Um dedinho de prosa colorida
Na manhã minha e de mais ninguém
Trouxe-me em bandeja teu inteiro jardim
Uma flor renasceu dentro de mim
No exílio de mim
Teu sorriso

Cintia Thomé

sexta-feira, 19 de agosto de 2011


Posted by Picasa

UMA LONGA VIAGEM COMEÇA POR UM PASSO


A minha tristeza deita-se em meus braços
Dona de muitas terras férteis em pensamentos fúteis.
Os meus medos, movem-se desamparados
Nesta existência que aponta, muitos caminhos inúteis.

A minha dor infunde soluços aos passos deste caminhar
Trôpego, incerto, desamparado, cego de sentido.
Os meus sonhos detêm-se na fatalidade de ser só a sonhar
Que alcanço o rumo de um longo sossego demorado.

As minhas alegrias são amantes das amizades eternas
Que não relegam o que sou, feito de mim mesmo
Os meus sentimentos nascem no coração e vivem nas pernas
Que percorrem este caminho povoado do que odeio e do que amo.

Uma longa viagem começa por um passo pequeno
Empurrado pelo primeiro capitulo de um livro por ler.
Depois dele, um outro passo, em passo sereno
Faz desta caminhada pela Vida, um longo caminho a percorrer.


© Rui Girão

MAIS DIA MENOS DIA

Ela fazia versos rimando hífens

— de tomara-que-cai azul-marinho —

mas me disse que não sabia onde acabava o poema.

Mais dia menos dia

dependendo da luz

transformado em cheiro um feixe me atravessa

(ou raio de outra coisa — montanha antiga, peixe,

que é fio

ou meada, idéia)

e a medalha apara

— Nossa Senhora do Loreto

protetora dos aviadores

no peito

ponto exato

que desata um rio

falso leito fofo

folhas decompostas

em poeirentas nuvens submarinas

morno em cima

em baixo frio.

Aí se pode morrer, é mole — um sino

fino, um dobre

um morro verde

o que não tenho

todo o ar do mundo.

Começa-se a morrer e um dia se termina.



ANGELA MELIM


quinta-feira, 11 de agosto de 2011

A MULHER DE LEÃO


( DE 22 DE JULHO A 22 DE AGOSTO )

A MULHER DE LEÃO
BRILHA NA ESCURIDÃO
A MULHER DE LEÃO, MESMO SEM FOME

PEGA,MATA E COME
A MULHER DE LEÃO NÃO TEM PERDÃO
AS MULHERES DE LEÃO
LEOAS SÃO
POETA,OPERÁRIO, CAPITÃO
CUIDADO COM A MULHER DE LEÃO !
SÃO CIUMENTAS E ANTAGÔNICAS
SOLARES E DOMINICAIS
ÍGNEAS, ÁUREAS E SARDÔNICAS
E MUITO, MUITO LIBERAIS.

VINÍCIUS DE MORAES