Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2011

ARROZ DE CARRETEIRO

Autoria: Jayme Caetano Braun
Nobre cardápio crioulo das primitivas jornadas, Nascido nas carreteadas do Rio Grande abarbarado, Por certo nisso inspirado, o xiru velho campeiro Te batizou de "Carreteiro", meu velho arroz com guisado.
Não tem mistério o feitio dessa iguaria bagual, É xarque - arroz - graxa - sal É água pura em quantidade. Meta fogo de verdade na panela cascurrenta. Alho - cebola ou pimenta, isso conforme a vontade.
Não tem luxo - é tudo simples, pra fazer um carreiteiro. Se fica algum "marinheiro" de vereda vem à tona. Bote - se houver - manjerona, que dá um gostito melhor Tapiando o amargo do suor que - às vezes, vem da carona.
Pois em cima desse traste de uso tão abarbarado, É onde se corta o guisado ligeirito - com destreza. Prato rude - com certeza, mas quando ferve em voz rouca Deixa com água na boca a mais dengosa princesa.
Ah! Que saudades eu tenho dos tempos em que tropeava Quando de volta me apeava num fogão rumbeando o cheiro E por ali - tarimbeiro, cansado de bat…

PAJADA À MULHER

Composição: Jadir Oliveira / Paulo De Freitas Mendonça
Abro minh'alma cativa Que amanheceu orvalhada Querendo ser libertada Por esta musa nativa Deusa guardiã primitiva Do segredo mais fecundo Com sentimento profundo Conforme o tema requer Vamos pajar à mulher Progenitora do mundo
Este princípio que fitas Num horizonte de sonho A ele eu me proponho Pois há rimas infinitas Com atitudes bonitas Tem a mulher, com certeza, Meiguice, amor, firmeza E um dom de protetora Seja santa ou pecadora Transcende a própria beleza
Antes mesmo de ser gente Somos dependentes dela E quando abrimos a goela Para este mundo vivente É ela quem faz a frente Para apontar o caminho É tão grande o seu carinho Seu seio, tão importante, Como quem diz “segue adiante Que eu não te deixo sozinho”
Desde a mãe, primeiro amor, A mulher está presente No coração inocente Que desabrocha qual flor Depois quando sonhador A professora primeira, A namorada trigueira Que pra vida dá sentido E quando amadurecido, Os braços da companheira
Quantos poetas e cantores …

ORAÇÃO AO TEMPO - COMPOSTA POR CAETANO VELOSO

És um senhor tão bonitoQuanto a cara do meu filhoTempo tempo tempo tempoVou te fazer um pedidoTempo tempo tempo tempo…Compositor de destinosTambor de todos os rítmosTempo tempo tempo tempoEntro num acordo contigoTempo tempo tempo tempo…Por seres tão inventivoE pareceres contínuoTempo tempo tempo tempoÉs um dos deuses mais lindosTempo tempo tempo tempo…Que sejas ainda mais vivoNo som do meu estribilhoTempo tempo tempo tempoOuve bem o que te digoTempo tempo tempo tempo…Peço-te o prazer legítimoE o movimento precisoTempo tempo tempo tempo