Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2012

PAISAGEM DE LUAR

NA NITIDEZ DO AR FRIO, DE FINAS VIBRAÇÕES DE CRYSTAL, AS ESTRELLAS CREPITAM...
HA UM RENDILHAMENTO, UMA LAVORAGEM DE PEDRARIAS CLARAS, EM FIOS SUBTIS DE SCINTILLÇÕES PALPITANTES, NA ALVA ESTRADA ESMALTADA DA VIA-LACTEA.
UMA SERENIDADE DE MAIO ADORMECIDO ENTRE FROUXEIS DE VERDURA CAE DO VELLUDO DO FIRMAMENTO, TORNA A NOITE MAIS SOLITARIA E PROFUNDA.
O MAR, PONTILHADO DOS ASTROS, FAISCA, PHOSPHORESCE E RUTILA, AGITANDO O DORSO GLAUCO.
E, DE LEVE, DE MANSO, UM CLARÃO BRANCO, LANGUIDO, LIVIDO, VEM SUBINDO DOS MONTES, ESCORRENDO FLUIDO NAS FOLHAGENS, QUE PRATEIAM-SE LOGO, COMO SI FABULOSO ARTISTA INVISIVEL AS PRATEASSE E AS POLISSE.
A LUA CHEIA TRANSBORDA EM RIO DE NEVE NA PAISAGEM, E, NO MAR, HA POUCO APENAS FAGULHANTE DE IRIAÇÃO DAS ESTRELLAS, A LUA JORRA DO ALTO.
POR ELLE A FÓRA, PELO VASTO MAR ESPALHADO, PEQUENAS EMBARCAÇÕES SE DESTACAM AGORA, ALIGERAS, LÉPIDAS, Á PESCA DA NOITE, VELAS BRANCAS SERENAS, SOB A CONSTELLAÇÃO DOS ESPAÇOS.
A AGUA REPERCUTE, NA AMOROSA SOLIDÃO DO LUAR, A BARCA…