domingo, 20 de novembro de 2011

COLORIR PAPEL - VIA CIRCULAR


É um vento que passa e que leva
Raia o brilho de cor amarela
Planta o pé no chão
O amor dando volta na terra
Arco íris de luz aquarela
Banda coração

Vamos ver o pôr do sol
Me dê a mão
Uma estrela só
Não é constelação
Sem destino vamos juntos
Passear feito nuvens no céu
Derramar a tinta colorir papel

É um vento que passa e que leva
Raia o brilho de cor amarela
Planta o pé no chão
O amor dando volta na terra
Arco íris de luz aquarela
Banda coração

Vamos ver o pôr do sol
Me dê a mão
Uma estrela só
Não é constelação
Sem destino vamos juntos
Passear feito nuvens no céu
Derramar a tinta colorir papel

E amanhecer nós dois
Perfume, bem me quer
Tem biscoito, queijo, bolo
Leite no café

sábado, 19 de novembro de 2011

REALISMO...

NÃO CREIO, NEM DESCREIO. SIMPLESMENTE
ENCARO SEM RANCOR AS TEORIAS,
PARTIDOS, RELIGIÕES, QUE TANTA GENTE
ATACA COM A MAIOR DAS ENERGIAS...

NÃO NEGO; E SÓ AFIRMO RARAMENTE!
POIS, MUITAS VEZES, AO CORRER DOS DIAS,
O QUE SE DIZ AGORA FIRMEMENTE,
AMANHÃ SÃO ENGANOS... UTOPIAS...

NÃO FAÇO O MAL E QUASE POUCO O BEM!
- E JÁ SERIA BEM MELHOR O MUNDO,
SE NÃO HOUVESSE O MAL QUE O MUNDO TEM!

NÃO SOU ALEGRE... MAS NÃO SOU TRISTONHO!
E, SENDO UM REALISTA TÃO PROFUNDO,
AMO E SOLUÇO E FAÇO VERSO E SONHO!



LUIZ OTÁVIO

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

TEM CUIDADO, CORAÇÃO...

CUIDADO, CORAÇÃO, MUITO CUIDADO!
PROVA O AMOR, BEM AOS POUCOS, DEVAGAR!
TAL COMO O VINHO, O AMOR FALSIFICADO,
MESMO ASSIM, BEM NOS PODE EMBRIAGAR...

E, QUANDO O AMOR NOS SENTE EMBEBEDADO,
COM REQUINTES NOS PASSA A ESCRAVIZAR...
EM TUDO SÓ SE VÊ O BEM-AMADO!
E A ÊLE NÓS ERGUEMOS UM ALTAR!

PORTANTO, TEM CUIDADO, CORAÇÃO!
E PROVA O TEU AMOR DEVAGARINHO
VENDO ASSIM SE É LEGÍTIMO OU SE NÃO...

MAS, QUANDO DESCOBRIR TUA RAZÃO
QUE TENS CONTIGO O MAIS PERFEITO VINHO,
EMBRIAGA-TE DE TODO, CORAÇÃO!...


OBRA: MEU SONHO ENCANTADOR
AUTOR: LUIZ OTÁVIO

AS PRIMAVERAS

A TERRA DE AROMAS CHEIA,
AS ONDAS BEIJANDO A AREIA
E A LUA BEIJANDO O MAR!

OH! DIAS DA MINHA INFANCIA!
OH! MEU CÉO DE PRIMAVERA!
QUE DOCE A VIDA NÃO ERA
NESSA RISONHA MANHÃ!
EM VEZ DAS MÁGOAS DE AGORA,
EU TINHA N´ESSAS DELICIAS
E BEIJOS DE MINHA IRMÃ!

LIVRE FILHO DAS MONTANHAS,
EU IA BEM SATISFEITO,
DA CAMISA ABERTO O PEITO,
-PÉS DESCALÇOS,BRAÇOS NÚS-
CORRENDO PELAS CAMPINAS
A´ RODA DAS CACHOEIRAS,
ATRAZ DAS AZAS LIGEIRAS
DAS BORBOLETAS AZUES!

N´AQUELLES TEMPOS DITOSOS
IA COLHER AS PITANGAS,
TREPAVA A TIRAR AS MANGAS,
BRINCAVA Á BEIRA DO MAR;
RESAVA ÁS AVES-MARIAS,
ACHAVA O CÉO SEMPRE LINDO,
ADORMECIA SORRINDO
E DESPERTAVA A CANTAR!



ESTE POEMA FOI ORIGINALMENTE POSTADO
DE: CASIMIRO DE ABREU
OBRA: AS PRIMAVERAS
COLLECÇÃO BENJAMIM COSTALLAT
RIO-1932