Seguidores

segunda-feira, 26 de maio de 2014

CAMPESINA Letra: Hélio Ramirez Música: Régis Bardini






Alma, mãos, a terra
Brasil, América Latina
Mulher campesina
Colhendo os frutos...
Mulher campesina
Bendito teus frutos...
São Marias, Jaciras e Lias
Carmens, Sandras, Veras e Bias
São as mães do Cerrado;
Deusas do Pantanal
Rudeza bela da Caatinga
Defensoras da Amazônia
Lutando por meu Pampa. Amor...
Almas e mãos... Os frutos da terra.
Colher o trigo, colher o mel.
Quebrando coco
Sendo pai e mãe
Fazendo empate... Colhendo algodão...
Voa
Voa andorinha
Por este céu de anil
Vai levando os sonhos
As dores e conquistas
De ti mulher campesina.
“Mulher campesina, quero junto, contigo lutar
Ombro a ombro
Para um mundo melhor ser possível”



quinta-feira, 8 de maio de 2014

POEMA ESMERALDA










Uma flor solitária buscava o brilho da lua todos os dias para fechar os olhos, porque não conseguia dormir sem que o brilho da lua refletisse em seus olhos, através do rio, o qual com suas lágrimas tornava esse rio cada vez mais transparente, certa noite o azul do rio tornou-se como o nome daquela flor esmeralda, que se sentia tão frágil, que todas as noites buscava amparo no leito do rio, então esmeralda ficava com o olhar fixo no brilho da lua através da água do rio, ate que diminuísse a intensidade em seus olhos, em uma noite esmeralda estava olhando a lua através do rio, quando a lua refletiu pela primeira vez em sua mão,formando um anel, que com a junção do brilho da lua e o verde da arvore que estava perto do rio, refletiram na água e formaram a cor de uma pedra preciosa, que era seu nome, então esmeralda uniu as mãos, porque queria provar mais daquele brilho, e por um segundo beijou sua mão, e ficou a pensar se seria certo amar o brilho da lua, que estava tão longe e impossível de tocar,porque a lua nem percebia a existência de esmeralda,e vivia rodeada de estrelas que provavam seu brilho de perto,então esmeralda não sabia se voltaria mais ao rio,porque a lua tinha as estrelas e era uma poesia visual, que esmeralda sonhava com melancolia e paixão,mais só tinha o leito daquele rio, e um brilho que ela sonhava em sofrer de uma jura de amor secreta, que a aquecesse com seu calor evaporando sua neblina com serenidade,como as águas daquele rio que se tornaria em oceano o qual esmeralda tinha vontade de mergulhar infinitamente e depois de tudo isso ser feliz.






segunda-feira, 5 de maio de 2014

Mais uma iniciativa!











Meus amigos, Oficina Reconstruindo convida vocês para fazerem parte da mais nova iniciativa do projeto de incentivo á leitura. Participem do "ESCAMBO DA OFICINA RECONSTRUINDO" e faça sua melhor oferta, livro por livro(s).O escambo ofertará um livro por semana, onde todos os interessados em fazer a troca direta participaram divulgando por esta página sua proposta, todas as ofertas serão avaliadas por mim, SILVIA HELENA CALCAGNO, idealizadora do projeto de leitura.
As pessoas que residirem em outros locais poderão receber através de sedex, desde que o projeto receba antes o material de troca, ficando sob a minha responsabilidade o êxito dessa ação.
Durante a semana será publicado fotos dos livros em lance e todas as informações sobre o mesmo.
Mais informações pelo contato; (053) 84044636

Que tenhamos uma ótima troca!
Fiquem atentos.