domingo, 12 de fevereiro de 2017

Oração do Ginete - Xirú Antunes



Quando a alma de um ginete em oração
Nesta xucra devoção vai enfrentar seu destino
Eu tiro então meu chapéu pra "Senhora Aparecida"
Que é a protetora da vida e minha mãe lá do céu

Que me proteja a senhora neste ofício de peão
Que o limite seja o chão num escarcéu barbaresco
Terra, mundo e algum retovo e se carrego um pecado
Deus me dê um desbocado pois vim alegrar meu povo

E quando numa toada, dessas que um taura se plancha
De um maula pedindo cancha se batendo nos meus ferros
Até me perco na rima nesse bailado de morte
E um índio brinca co'a sorte se um louco vier por cima

Então "Senhora dos Campos", eu te peço tua benção
Cuide da vida de um peão pois eu não quero mais nada
Somente esse meu anseio de montar noutro rodeio
Pra uma nova gineteada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário