terça-feira, 11 de dezembro de 2012

SONETO

DESERTA A CASA ESTÁ... ENTREI CHORANDO,
DE QUARTO EM QUARTO, EM BUSCA
DE ILUSÕES!
POR TODA A PARTE AS PÁLIDAS VISÕES!
POR TODA A PARTE AS LÁGRIMAS FALANDO!

VEJO MEU PAI NA SALA, CAMINHANDO,
DA LUZ DA TARDE AOS TÉPIDOS CLARÕES,
DE MINHA MÃE ESCUTO AS ORAÇÕES
NA ALCOVA, AONDE AJOELHEI REZANDO.

BRINCAM MINHAS IRMÃS
( DOCE LEMBRANÇA!...),


NA SALA DE JANTAR... AI! MOCIDADE,
ÉS TÃO VELOZ, E O TEMPO NÃO
DESCANSA!

OH! SONHOS, SONHOS MEUS
DE CLARIDADE!
COMO É TARDIA A ÚLTIMA ESPERANÇA!...
MEU DEUS, COMO É TAMANHA
ESTA SAUDADE!...

(JOSÉ BONIFÁCIO, O MOÇO. POESIAS.
SÃO PAULO: CONSELHO ESTADUAL DE
CULTURA, 1962.P.247)

Nenhum comentário:

Postar um comentário