sexta-feira, 19 de novembro de 2010

VOZESPERTASTUTAS

Abelha zumbe, zumbe a mosca.
Carneiro bala, bala a ovelha.
Javali grunhe, grunhe o porco.
O bicho grita, cala o homem.

O cavalo relincha,
a pomba arrulha,
o lobo uiva,
o homem tem a faca, ai.

O tigre brama,
o homem reclama
e sai à caça
em seu automóvel.

A raposa regouga,
a cegonha glotora,
a andorinha trissa,
cai atropelada a tarde.

Codorniz chilreia,
a garça é quem gazeia.
Cachorro late, o pau bate.
Lebre chia, o homem sangra veias.

Peru grugruleja,
o corvo crocita.
Galinha cacareja,
o galo cucurica.
Coração murmureja,
o homem dorme.

Boi muge,
o leão ruge,
o mosquito zune,
o homem assume a matança.

Búfalo berra,
o burro zurra,
o elefante urra,
o homem surra a criança.

Gato mia, chia também.
A criança ora ri, ora chora.

Pardal chilra,
o papagaio palra,
a serpente silva,
o homem mata o homem.

O peixe deságua na água suja
as ovas e não diz nada.
A criança leva no lombo
a marca da sova e diz tudo.

O homem enlouquece,
guarda o espinho do medo.
Todos esperam,
liberdade não chega.

- Eu pergunto, qual bicho
pode calar a dor do mundo,
pergunto novamente, qual bicho
pode calar a dor do mundo
com a benção da voz do amor



MARIO PIRATA

Nenhum comentário:

Postar um comentário