Pular para o conteúdo principal

AMIGOS

NESSA ÉPOCA DE NATAL E A PROXIMIDADE DE UM NOVO ANO,SOMOS PEGOS PESANDO TODAS AS AÇÕES VIVIDAS DURANTE O ANO.FAZEMOS UM BALANÇO COMO SE DELE CONSEGUISSEMOS TIRAR TODAS AS RESPOSTAS PARA AS DÚVIDAS QUE TEMOS DIARIAMENTE AO LONGO DE NOSSA JORNADA.
VIVI ALGUNS ANOS ATRÁS UMA EXPÊRIENCIA DIFÍCIL,MAS QUE HOJE RESPONDE MUITAS COISAS EM TEMPO CERTO NA MINHA VIDA.FORAM CINCO ANOS,VIVENDO UM MOMENTO QUE APRENDI A ENTENDER QUE NEM TUDO TEMOS O PODER DE GUIAR,POR VEZES SOMOS APENAS CONDICIONADOS E LEVADOS A ACEITAR POR MAIS DIFÍCIL QUE POSSA PARECER.CUIDEI DE UMA PESSOA PRÓXIMA DE MIM POR ESTES ANOS ,O TEMPO SUFICIENTE PARA ENTENDER QUE NÃO ERA APENAS UMA MISSÃO SEM PROPÓSITO.COM O SEU FALECIMENTO BUSQUEI SUPERAR AS DORES DE TER VIVIDO MUITO TEMPO,DIARIAMENTE NUMA SITUAÇÃO ONDE POR MAIS QUE FAÇAMOS AINDA ASSIM NÃO ALCANÇAMOS OQUE DESEJAMOS .UMA LIÇÃO DE VIDA FICOU:
DE NUNCA SENTIR MEDO DE MEXER COM OS SENTIMENTOS QUE NOS DOMINAM E APRESIONAM,ESTES QUE PREFERIMOS MUITAS VEZES NÃO TOCAR .APRENDI QUE QUANDO DILUIMOS ALGUMA FASE RUIM CONSEGUIMOS TRANSFORMAR O SENTIMENTO DE PERDA E DE DOR.
A VIDA EXIGE CORAGEM E ESSA NÃO CONSEGUIMOS COMPRAR NEM ACHAR EM ALGUM LUGAR QUE NÃO SEJA DENTRO DE NÓS MESMOS.O SENTIMENTO DE DOR COMO O SENTIMENTO DE FELICIDADE É ÚNICO A CADA SER ,PODEM SER COMPARTILHADAS MAS NUNCA POR IGUAL INTENSIDADE.
QUE NESTE NATAL NINGUÉM SE APRESIONE POR MOMENTOS OU LEMBRANÇAS DE ALGO QUE JÁ NÃO MAIS TEM COMO MUDAR.MAS QUE CONSIGA SE RENOVAR E COMPARTILHAR ESSE MOMENTO DE TAMANHA BENÇÃO COM AQUELES QUE ESTÃO A SUA VOLTA E SE SENTIR ALGUMA TRISTEZA POR SAUDADE LEMBRE-SE ... TRANSFORME NÃO TENHA MEDO, SE DESEJAR SENTIR ALGO DIFERENTE TUDO É POSSÍVEL E TEM SEU TEMPO REAL E TENHA A CERTEZA DE QUE TUDO ISSO TRANSFORMOU VOCÊ NESSA BELA PESSOA QUE ÉS HOJE.TENHA CERTEZA DISSO.
FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO!!!


SILVIA HELENA CALCAGNO

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A LENDA DO PARDAL (FRONTEIRA)

DIZEM QUE O PARDAL NÃO É DAQUI,QUE FOI ASSIS BRASIL QUEM TEVE A PÉSSIMA IDÉIA DE TRAZER ESTE BICHO EXCOMUNGADO DAS EUROPAS.NÃO PRESTA PARA NADA,INCOMODA UMA BARBARIDADE E AINDA CORRE COM O TICO-TICO E O CANARINHO-DA-TERRA DE TUDO QUANTO É CANTO.
É UM BICHO ANTIPÁTICO,QUE NÃO CAMINHA:PARA ANDAR,TEM QUE DAR UNS PULINHOS,COM OS DOIS PÉS JUNTOS,COMO SE ESTIVESSE MANEADO.
E ESTÁ MESMO.FOI CASTIGO DE DEUS.
QUANDO NOSSO SENHOR ESTAVA FAZENDO OS BICHOS PARA SOLTAR NA TERRA,PERGUNTAVA O QUE CADA UM IA FAZER.E DISSE A POMBA:
- EU VOU SER MANSA E TRANQUILA,O SÍMBOLO DA PAZ.
- EU VOU CANTAR PARA A ALEGRIA DOS GAÚCHOS. - DISSE A CALHANDRA.E ASSIM POR DIANTE.
QUANDO CHEGOU A VEZ DO PARDAL,QUE ERA RABUGENTO E ESTAVA BRABO POR SER DOS ÚLTIMOS NA FILA,ELE SE SAIU COM QUATRO PEDRAS NA MÃO:
- EU?POIS EU VOU DAR COICE NO MUNDO E ACABAR COM TODA ESTA PORCARIA,QUE ESTÁ TUDO MUITO MAL FEITO!
- AH,VAI? - DISSE NOSSO SENHOR.POIS ENTÃO EU VOU TE MANEAR,PRA QUE TU NÃO DÊS UM COICE NO MUNDO QUE EU FIZ...
É POR ISSO QUE O…

O REI E O SAPATEIRO

Era uma vez... quando foi
Eu bem ao certo não sei!
Porém sei que era uma vez
Um sapateiro e um rei.

Olha, Helena, o sapateiro
Era um pobre remendão,
Casado e com quatro filhos,
Que vivia quasi sem pão.

No recanto de uma escada
Noite e dia trabalhava,
E por allivio de máguas,
Esta cantiga cantava:

"Ribeiros correm aos rios,
Os rios correm ao mar;
São tudo leis deste mundo
Que ninguém póde atalhar:
Quem nasce para ser pobre
Não lhe vale o trabalhar!"

O rei tinha montes d'ouro
E joias em profusão,
E tinha mais que ouro e joias,
Pois tinha um bom coração.

Em vendo um pobre, acudia-lhe
Sem que o soubesse ninguem,
Que assim quer Deus que se faça.
E assim o faz tua mãe.

Por muitas vezes saía
Sem criados de libré,
E sósinho e disfarçado
Corria a cidade a pé.

Na rua do sapateiro
Passa o rei e ouve cantar:
"Quem nasce para ser pobre
Não lhe vale o trabalhar."

Isto uma vez e mais de uma
com voz que o pranto cortava,
E o rei condoeu-se d'alma
Do velho que assim cantava.

Chegado ao palacio ordena
Que lhe arr…

A LENDA DE JAGUARÃO

NOS TEMPOS ANTIGOS,ANTES DA CHEGADA DO HOMEM BRANCO ÀS TERRAS DO SUL,VIVIAM OS CHARRUAS E ÀS VEZES OS MINUANOS JUNTO A UM RIO PAMPA.OS ÍNDIOS PESCAVAM NO RIO,CORTAVAM AS SUAS ÁGUAS COM CANOAS E TIRAVAM DE SEUS REMANSOS A ÁGUA PARA O DIA-DIA DA TRIBO.
UM DIA,PORÉM,AQUERENCIOU-SE NUMA DAS "PANELAS" DO RIO,JUNTO ÀS BARRANCAS,UM ESTRANHO SER,UM MONSTRO QUE PARECIA UM PEIXE-CACHORRO,COM GARRAS DE TIGRE,PRETO E VISGUENTO.E COISA ESTRANHA:SÓ COMIA OS BOFES DOS VIVENTES FOSSE BICHO OU GENTE MESMO.
E COMO FAZIA? SIMPLESMENTE ELE CAVOUCAVA POR BAIXO DÁGUA A BARRANCA DO RIO,FAZENDO UMA GRANDE CAVERNA E ALI SE ANINHAVA, A ESPERA.SE UMA PESSOA OU BICHO GRANDE CHEGASSE EM CIMA DA BARRANCA,ESTA DESABAVA E O MONSTRO ARRASTAVA PARA O FUNDO DAS ÁGUAS QUEM SE AFOGAVA,COMENDO-LHE OS BOFES,SIMPLESMENTE.
ACONTECE QUE OS CADÁVERES COMEÇARAM A APARECER RIO ABAIXO,SEM OS PULMÕES E OS ÍNDIOS COMEÇARAM A DAR CAÇA AO MONSTRO,SEM GRANDES RESULTADOS,ALIÁS.EM GUARANI,QUE ERA A LÍNGUA MAIS FALADA …